Café com Jazz da padaria Pão do Parque recebe o pianista Adão Monteiro Eventos BaresSP 570x300 imagem
    Arroba_marketUp2.png

    Café com Jazz da padaria Pão do Parque recebe o pianista Adão Monteiro

    Café com Jazz da padaria Pão do Parque recebe o pianista Adão Monteiro

    Por Gontof Comunicação | 24 de Janeiro 2008 - Publicado em 24 Janeiro 2008


    O projeto "Café com Jazz", na padaria Pão do Parque, recebe no próximo domingo, dia 27 de janeiro, a partir das 10h, o pianista Adão Monteiro e seus convidados: Nilton Mariano (contrabaixo) Elias Caju (bateria) e Denyse Bittencourt (cantora). No show, o pianista mostra as músicas de seu primeiro cd, "Adão Monteiro" (gravado no estúdio EMAIS, em dezembro de 2007), todas clássicos de jazz e blues feitos para o Cinema, como “As Time Goes By” (Herman Hupfiel), “Nigh and Day” (Cole Porter), “All The Things You Are” (Jerome Kern e Oscar Hammerstein II) e “Route 66” (John Mayer). Uma parte especial do show será dedicada à interpretação jazzística de canções feitas para São Paulo ou por artistas paulistanos, como “Sampa” (de Caetano Veloso), “Ronda” (Paulo Vanzolini), “Flagra” (Roberto De Carvalho e Rita Lee), “Trem das Onze” (Adoniran Barbosa) e “Samba do Arnesto” (Adoniran Barbosa). O show, produzido pela Escola de Música e Arte (EMAIS), do Parque Continental, tem duas horas de duração.

    Natural de Patos de Minas, Adão Monteiro 37 anos, tem ricas influências da Folia de Réis e das diversas músicas folclóricas da sua região. Em São Paulo, para onde partiu “em busca de um sonho”, conheceu Nilton Mariano, que o apresentou ao jazz. “Minha formação profissional foi na Escola de Música e Artes do Nilton, onde estudei por quatro anos, mas cuja influência permanece até hoje. Tanto que foi a escola que dirigiu e gravou o meu cd”, conta Adão Monteiro. Outra influência marcante na formação do artista é a música Gospel. “Convidei para o show de domingo o Nilton Mariano e o Elias Caju, ambos professores da EMAIS, e a Denyse Bittencourt que conheci na música Gospel, que, aliás, é onde encontramos a origem do Jazz e do Blues”, diz o pianista.

    Segundo Monteiro, o show será basicamente instrumental e em tom adequado para o café da manhã. “A Denyse vai cantar algumas das músicas feitas por paulistanos ou em homenagem à Cidade, como Sampa. Das quinze canções gravadas no meu cd, apenas As Time Goes By deve ser cantada”, afirma. E acrescenta: “Estou muito feliz em realizar este show. Além do prazer de lançar meu Cd, vou poder fazer uma homenagem ao aniversário desta cidade que recebe gente de todas as tribos e, ainda, que possibilita que a gente transforme sonhos em realidade, quando trabalha com foco e determinação”.

    Em 20 anos de carreira, Adão Monteiro trabalhou, como pianista e produtor, na Som Livre, no Programa do Bolinha ( TV Bandeirantes) e no Programa Raul Gil (TV Record), entre outros. Fez shows solo por todo o País e tocou com bandas e artistas como Eliana de Lima, Raça Negra e Manito (The Clevers e Os Incríveis).

    A cantora e compositora Denyse Bittencourt tem forte influência musical do black gospel, jazz e pop rock. Já gravou oito cds e dvds como intérprete e compositora, com o maior grupo de música Gospel da América Latina, o “Renascer Praise”, gravado no Brasil, Israel e Estados Unidos. Trabalhou como backing vocal e cantou com diversos artistas brasileiros e com o norte-americano Phill Tarvey (Gospel). Em março deste ano, lançará seu primeiro cd solo.

    Sobre a Pão do Parque

    A Pão do Parque, fundada pelo empresário Rubens Casselhas, que, como tantos da categoria, cresceu em meio ao aroma sagrado da fornada de pão e seguiu a carreira do pai, existe há quase 30 anos e atende a cerca de um milhão e setecentos mil consumidores por ano. Com duas lojas e uma central de produção de pães e doces, a Pão do Parque foi eleita uma das trinta melhores panificadoras do Brasil e já foi escolhida como número um pelo Sindicato das Indústrias de Panificação.

    Inaugurada no centro comercial do Parque Continental, a Pão do Parque, inicialmente chamava-se Panificadora Parque Continental. Em 1994, já com o novo nome, passou por uma grande reforma e foi uma das primeiras panificadoras de São Paulo a ser informatizada.
    Os produtos da Pão do Parque estão sempre alinhados às tendências do segmento nacional e internacional. Em 97, foi criada a filial na Vila São Francisco, um espaço menor, que se assemelha a uma boutique de pães.

    Dois anos depois, foi construída a Sweet House, fábrica exclusiva de pães e doces, para atender a demanda e padronizar os produtos oferecidos nas duas lojas.

    A panificadora também tem como rotina a integração com o meio ambiente. Por isso, entre as ações da empresa estão a doação de óleo de cozinha utilizado para entidades e grupos oficiais e a criação de embalagens com papel reciclado. Além disso, a arquitetura da loja permite que a iluminação seja natural na maior parte do tempo, o que consome menos energia.

    Em ambas as lojas, a Pão do Parque utiliza somente, além dos produtos de fabricação própria, marcas consagradas entre o público consumidor, aliando produtos, atendimento e serviços de conveniência, com excelente qualidade. A Pão do Parque passou a ser referência. Associa qualidade e avanço tecnológico. Oferece às pessoas espaços agradáveis e familiares; e opta por não comercializar bebidas alcoólicas em suas mesas ou balcão.

    Pelos seus produtos, qualidade e serviços prestados, a panificadora ganhou destaque em mídias especializadas do setor e outros meios de comunicação, de jornais à televisão. No ano passado, graças as suas inovações, foi mais uma vez reconhecida em Gestão do Meio Ambiente no Prêmio Bunge de Empreendedorismo de Panificação: como prêmio vai conferir este ano as novidades da Europain 2008, em Paris.

    Av. Antônio de Souza Noschese, 900 – Pq. Continental - Tel: 3719-5792 - Horário de Funcionamento: Todos os dias, das 6h às www.paodoparque.com.br

     

    TAGS
     
     
     
     

    Bares em São Paulo

     
     

    Notícias BaresSP

     

    BaresSP publicidade 980x90 bares


    topo