O Capitão e a Sereia estréia no Sesi Vila Leopoldina Eventos BaresSP 570x300 imagem
    arroba-banner-inove.jpg

    O Capitão e a Sereia estréia no Sesi Vila Leopoldina

    O Capitão e a Sereia estréia no Sesi Vila Leopoldina

    Por SESI/SENAI - SP  | 09 de Outubro 2009 - Publicado em 07 Outubro 2009


    Montado pelo Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare, o espetáculo foi baseado na obra homônima do pernambucano André Neves. Inédita, a peça estreará em 9 de outubro e terá sessões gratuitas de quinta-feira a domingo.


    A peça, dirigida por Fernando Yamamoto, estreará em 9 de outubro, no SESI Vila Leopoldina. A montagem do grupo potiguar ficará em cartaz até 29 de novembro, de quinta-feira a sábado, às 20h, e aos domingos, às 19h - às sextas-feiras haverá sessão extra às 16 horas. O último dia de apresentação terá horários diferenciados, às 16h e 19 horas. A entrada é franca.


    O espetáculo é baseado na obra homônima de André Neves, escritor pernambucano radicado em Porto Alegre, que conta a história de Marinho, um sertanejo que nasceu e cresceu ouvindo histórias e canções sobre o mar e se apaixona pelo tema. Ele desenvolve, então, uma exímia habilidade em contar histórias sobre esse assunto, e logo forma uma trupe de mambembes que sai pelo alto sertão a encantar as pessoas com seus contos. Certo dia, Marinho se cansa desta vida e abandona a trupe para, finalmente, conhecer o mar. Numa construção dramatúrgica assinada por Fernando Yamamoto e pelo grupo, o foco da narrativa é subvertido: ao invés de contar a história do herói que parte em busca do seu sonho e da sua trajetória pessoal, o grupo conta a história da trupe que ficou, a espera do retorno do Capitão Marinho.

    De acordo com Yamamoto, a luta dos mambembes em fazer que o público não perceba a situação delicada que eles estão vivendo é o fio condutor do espetáculo, mediado por um outro plano narrativo em que o grupo - os Clowns de Shakespeare, e não a trupe, batizada de Tropega, Mas Não Escorrega - comenta a situação dos seus personagens e estabelece um diálogo com a obra literária original. Helder Vasconcelos assina a preparação corporal do elenco. "Seu trabalho teve inspiração na tradicional tradição do Cavalo-Marinho", conta o diretor. E conclui: "E foi ampliado para muito além do corpo, atingindo a música e a encenação do espetáculo".
    Característica marcante da estética do grupo, o uso de uma pesquisa musical cuidadosa continua sendo uma tônica, conduzida pela direção musical de Marco França.


    O espetáculo é um dos três selecionados, entre 95 projetos inscritos, para integrar o Núcleo de Montagens Profissionais Vila Leopoldina. Os outros dois são: Sobre Tomates,Tamancos e Tesouras, montagem que ficou em cartaz de junho a julho, e Tragicomédia de um Homem Misógino, que estreou em agosto e teve temporada até o fim de setembro.


    Histórico do grupo


    Criado há dezesseis anos em Natal (RN), o grupo de Teatro Clowns de Shakespeare vem, desde então, desenvolvendo uma investigação com foco na construção da presença cênica do ator, a musicalidade da cena e do corpo, e teatro popular e comédia, sempre sob uma perspectiva colaborativa. Mesmo sem trabalhar diretamente com palhaço, a técnica do clown está presente na sua estética, seja na lógica subvertida do mundo, seja na relação direta e verdadeira com a platéia, seja no lirismo que compõe o universo desses seres. Além, é claro, de toda a sua carga cômica.


    As comédias shakespearianas vieram a contribuir para essa pesquisa. Sem adotar uma atitude "museológica" sobre o bardo, no entanto sem desrespeitar a sua genialidade, o desafio tem sido encontrar, na universalidade da obra do dramaturgo, o que faz sentido para o grupo. Em seu repertório, constam 11 espetáculos: Sonhos de uma Noite de Verão (1993), Noite de Reis (1994), Megera DoNada (1998), Sonhos de uma Noite Só (1999), Men Meet Woman - O Amor e Tantos Desencontros (2000), Picadinho Clowns (2001), Humor a Dois (2002), Muito Barulho por Quase Nada (2003), Roda Chico (2005), o premiado Fábulas (2006) e O Casamento (2006).


    Com um trabalho já consolidado no meio teatral potiguar, e reconhecido no nordeste, o grupo investe na manutenção de suas atividades - com a conservação dos seus espetáculos em repertório, o desenvolvimento de seu trabalho de pesquisa e ainda com o criação de uma escola de teatro.
    Esta temporada de O Capitão e a Sereia consolida uma relação de proximidade entre o grupo e a capital paulistana, uma vez que será a décima passagem dos Clowns de Shakespeare pelo Estado. Antes, já esteve na capital paulista em outras duas oportunidades: com o espetáculo Muito Barulho por Quase Nada, no teatro SESC Anchieta (2005), e com a temporada de repertório no TUSP (2007). Esta última rendeu ao grupo dois prêmios APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), de Melhor direção e Melhor ator (Rogério Ferraz), e dois FEMSA/Coca-Cola, nas mesmas categorias, pelo espetáculo Fábulas. Participou, ainda, da primeira edição da Mostra Latino-Americana da Cooperativa Paulista de Teatro e das duas edições do Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto.


    Centro Cultural SESI Vila Leopoldina


    Em seu quinto ano de intensa atividade cultural, o espaço se consolida como referência na oferta de produções artísticas profissionais na zona oeste da capital paulista. O projeto teve início em 2004 e estreou com a apresentação do espetáculo O Veneno do Teatro. No ano seguinte, recebeu outras três montagens profissionais: Anna Weiss, com texto do escocês Mike Cullen e direção de Alexandre Tenório; A Audiência e Vernissage, ambos do dramaturgo tcheco Václav Havel, sob direção de Soledad Yunge.

    Em 2006, contou com as montagens do infanto-juvenil Big Bang, da Cia. Truks - Teatro de Bonecos -, e 100 Shakespeare, da Pia Fraus. Ficaram em cartaz, em 2007, os premiados espetáculos infantis O Tesouro de Balacobaco, da Bendita Trupe, e João e Maria, da Le Plat du Jour; seguido de (a)tentados, da Cia de Teatro em Quadrinhos. E, no último ano, foi a vez do público assistir aos espetáculos Yuuki!!! O Pequeno Samurai, em comemoração ao centenário da imigração japonesa no Brasil, Sonho de uma noite de Verão e O Caderno da Morte.


    SERVIÇO:
    Núcleo de Montagens Profissionais Vila Leopoldina
    Espetáculo: o Capitão e a Sereia
    Local: Centro Cultural SESI Vila Leopoldina - Rua Carlos Weber, 835.
    Temporada - datas e horários: de 9 de outubro a 29 de novembro de 2009 - de quinta-feira a sábado, às 20 horas, e aos domingos, às 19 horas. Ás sextas-feiras haverá uma sessão adicional às 16 horas. A última apresentação terá horários diferenciados: às 16h e 19 horas.
    Entrada: franca - retirar ingressos com uma hora de antecedência
    Capacidade: 80 lugares
    Duração: 70 minutos
    Gênero: comédia
    Recomendação etária: Não remendado para menores de 14 anos.
    Informações: (11) 3833-1092 e 3833-1093
    Agendamento prévio: (11) 3833-1045 e 3833-1046

     

    TAGS
     
     
     
     

    Bares em São Paulo

     
     

    Notícias BaresSP

     

    BaresSP publicidade 980x90 bares


    topo