Traições Musicais propõe releituras inusitadas de clássicos Pop no SESC Pompéia  Eventos BaresSP 570x300 imagem
    Arroba_marketUp2.png

    Traições Musicais propõe releituras inusitadas de clássicos Pop no SESC Pompéia

    Traições Musicais propõe releituras inusitadas de clássicos Pop no SESC Pompéia

    Por ARTEPLURAL Comunicação | 23 de Julho 2008 - Publicado em 23 Julho 2008


    Fãs de Elvis irão trocar o balanço pélvico do Rei do Rock pelo embalo sereno da bossa nova. O som lascivo de Chuck Berry inspirará rodas de pogo (roda de roqueiros que se batem amigavelmente enquanto curtem o som) e guitarras no lugar do violão, nas músicas do Clube da Esquina. Tudo isso vai acontecer entre os dias 25 e 26 de julho, sexta e sábado, às 21 horas, na 2ª edição do projeto Traições Musicais do SESC Pompéia, na Choperia da Unidade, que propõe versões inusitadas de músicas consagradas na história da música.

    O músico João Suplicy (foto) e a dupla Bossa Project (dia 25 de julho) abrem o final de semana com uma noite totalmente Bossa Nova. O primeiro lançou, recentemente, o CD Love Me Tender, com releituras de clássicos de Elvis Presley em versões próprias da nova onda que conquistou, primeiramente, o Rio de Janeiro e, pouco tempo depois, os audiófilos mais sofisticados do Brasil e do mundo. No repertório Rock 'n' Bossa do show estão os clássicos "It's Now or Never" e "Blues Suede Shoes", entre outros.

    O Bossa Project abre o leque de possibilidades e abrange hits Pop de Lauryn Hill a Pet Shop Boys. A banda foi formada em 2005, quando Bettina, cantora e professora de técnica vocal, conheceu o violonista e maestro Eddy Marcos. O objetivo da dupla era transfigurar canções Pop de várias épocas e estilos, conferindo a elas uma cara brasileira, alegre e sofisticada com a Bossa Nova. O trabalho resultou em um disco homônimo com versões de "How Deep is Your Love", do Bee Gees, e "Fool on the Hill", dos Beatles.

    A segunda noite é dominada pelas bandas Fuck Berry e Troll (dia 26 de julho). O vocalista Thunderbird (Devotos de N.S.A.), o baixista Gaspa (Ira!) e os guitarristas Ricardo Kriptonita (Kriptonitas) e Zé Derliner (Borderliners) fazem parte do grupo que homenageia o Pai do Rock. Fuck Berry faz versões livres do ícone roqueiro americano em músicas como "Memphis Tennesee", "No Particular Place to Go", "Too Much Monkey Business" e "Route 66".

    A banda Troll, por sua vez, resgata o Clube da Esquina, movimento da MPB dos anos 60 e 70, que contou com a participação de Milton Nascimento. As saudosas canções agora recebem o fermento roqueiro de guitarras distorcidas. Tudo com autorização dos membros do Clube. Lô Borges, por exemplo, ouviu e aprovou a nova versão da música "Um Girassol da Cor de Seu Cabelo", de sua autoria. Outras canções do repertório da banda são "Clube da Esquina", "Linda Juventude", "Para Lennon e Mc Cartney", "Todos Nós", e outras, além de "Eu Não Sei", de autoria da Troll. Para atingir o objetivo, a banda leu Os Sonhos Não Envelhecem, de Márcio Borges. 


    Serviço

    Projeto Traições Musicais do SESC Pompéia

    Rua Clélia, 93 - Pompéia, São Paulo - SP

    Tel.: (11) 3871-7700

    Dia 25 – João Suplicy e Bossa Project

    Dia 26 – Fuck Berry e Troll

    Capacidade: 800 lugares

    Censura: Livre

    Ingressos de R$ 4 a R$ 16

    Duração: 90 minutos

    Acesso para deficientes físicos;

    Ar condicionado;

    Funcionamento da bilheteria do SESC Pompéia – de segunda a sábado, das 9h às 21h e aos domingos, das 9h às 19h;

    Aceita cheque, cartões de crédito (Visa, Mastercard, Diners Club International e American Express) e débito (Visa Electron, Mastercard Electronic, Maestro, Redeshop e Cheque Eletrônico).

     

     
     
     

    Bares em São Paulo

     
     

    Notícias BaresSP

     

    BaresSP publicidade 980x90 bares


    topo