Twitteiros se encontram na Livraria Cultura para discutir “Twitter e Relacionamento”Twitteiros se encontram na Livraria Cultura para discutir “Twitter e Relacionamento” Eventos BaresSP 570x300 imagem
    Arroba_marketUp2.png

    Twitteiros se encontram na Livraria Cultura para discutir “Twitter e Relacionamento”Twitteiros se encontram na Livraria Cultura para discutir “Twitter e Relacionamento”

    Twitteiros se encontram na Livraria Cultura neste sábado

    Por Gontof Comunicação | 25 de Junho 2010 - Publicado em 23 Junho 2010


    O 5º. ETC São Paulo acontece no dia 26 de junho, sábado, a partir das 16h30, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional,. Desta vez o tema é “Twitter e Relacionamento”. Participam da mesa o secretário da Cultura de São Paulo, Andrea Matarazzo, o jornalista Luís Nassif e o professor e consultor Gil Giardelli, com mediação do mutidisciplinar José Luiz Goldfarb. Segundo Goldfarb, o twitter tem revolucionado a forma de relação entre as pessoas e mesmo no mundo dos negócios. “Pela primeira vez na história podemos conversar ao mesmo tempo com dezenas, centenas e até milhares de pessoas”, afirma. E acrescenta: “o caso do ‘Cala a Boca Galvão’ é emblemático. Por pensarem que a expressão era destinada a salvar um pássaro da extinção, milhões de pessoas em todo o mundo aderiram à campanha, o que mostra o que o twitter tem de fascinante e até de perigoso. Por isso discussões como esta que faremos são tão instigantes”, reflete. A entrada é franca.

    Pela quinta vez acontece em São Paulo o Encontro dos Twitteiros Culturais (ETC). Desta vez o tema será o instigante “Twitter e Relacionamento”. O encontro acontece no dia 26 de junho, sábado, a partir das 16h30, na Livraria Cultura, do Conjunto Nacional (Av. Paulista, 2073 – tel: 11-3170-4033). Participam da mesa o secretário da Cultura de São Paulo, Andrea Matarazzo; o jornalista Luís Nassif e o professor e consultor Gil Giardelli.

    “O twitter tem modificado a forma de relação entre as pessoas e mesmo no mundo dos negócios. Vamos discutir diversos temas - desde assuntos como os Desafios para o Jornalismo - já que o twitter muitas vezes destrói o chamado furo jornalístico (as notícias passaram a ser divulgadas por quem está participando das cúpulas, eventos e reuniões) - às novas formas de relacionamento entre as pessoas”, diz Goldfarb. “Antigamente se eu estivesse ministrando uma palestra e alguém do público começasse a mexer no telefone, eu acharia uma tremenda falta de educação. Hoje, ela pode estar prestando atenção e ao mesmo twitando para milhares de pessoas o que estamos discutindo”, afirma.

    Goldfarb destaca ainda que durante a Copa do Mundo o twitter vive um tamanho aumento no fluxo de participação, que passou por lentidão e dificuldade técnica: “É impressionante o número de pessoas que interagem durante os jogos, como se estivessem sentadas lado a lado. De certa forma ninguém fica sozinho. Os horários dos jogos atrapalharam muito as reuniões de amigos para assistir juntos às partidas, especialmente na primeira fase. O twitter diminui as distâncias e revoluciona as relações, já que devido ao uso da palavra escrita - twittamos texto - podemos pela primeira vez na Historia dialogar com dezenas, centenas ou até milhares de pessoas ao mesmo tempo. E o mais notável é que participam pessoas dos mais diversos perfis e interesses. Durante o jogo do Brasil contra a Coréia do Norte, por exemplo, comentei que 1100 obras da coleção de José Mindlin estavam disponíveis online e tive 100 ‘rettwites’. E isso no meio a uma conversa sobre futebol. Nesta Copa das retrancas, quem mostra a força ofensiva é o twitter”, afirma.

    O professor destaca ainda que o twitter é uma arma poderosa para a mobilização da sociedade, agilizado a participação e engajamento das pessoas. “O caso do ‘Cala a Boca Galvão é emblemático. Por pensarem que a expressão era destinada a salvar um pássaro da extinção, milhões de pessoas em todo o mundo aderiram à campanha, o que mostra o que o twitter tem de fascinante e até de perigoso. Por isso discussões como a que faremos são tão instigantes”, reflete. Ele acrescenta: “vários secretários já participaram dos nossos encontros. No penúltimo esteve na mesa Cláudia Costin, secretária municipal de Educação do Rio de Janeiro; depois a vez do secretário municipal da Educação de São Paulo, Alexandre Schneider; e agora é a vez do secretário de Cultura do estado de São Paulo, Andrea Matarazzo, o que mostra a importância cada vez maior do tema”.

    O ETC é coordenado nacionalmente por José Luiz Goldfarb, da Poiesis; Ricardo Costa, do Publishnews; e Fernanda Musardo, que administra o site ETC_Brasil”. “O encontro do dia 26 é gratuito e aberto para todo mundo, mas quem quiser também pode acompanhar as idéias, frases e discussões pela hashtag @ETC_Sampa”, diz Goldfarb.

     

     
     
     

    Bares em São Paulo

     
     

    Notícias BaresSP

     

    BaresSP publicidade 980x90 bares


    topo