Jantar com Dom Pérignon em homenagem à Alex Atala Eventos BaresSP 570x300 imagem
    arroba-banner-ecograph.gif

    Jantar com Dom Pérignon em homenagem à Alex Atala

    Vincent Chaperon, conduzirá degustação inédita no D.O.M

    Por KRP Relações Públicas | 25 de Maio 2010 - Publicado em 21 Maio 2010


    Dom Pérignon celebra a 18ª colocação do D.O.M., do chef Alex Atala, na lista do The S. Pellegrino Worlds 50 Best Restaurants Awards 2010. Para isso, prepara uma experiência inesquecível e inédita, pela primeira vez aberta ao público. Uma degustação conduzida pelo enólogo de Dom Pérignon, Vincent Chaperon, que apresenta as três faces do champanhe: Dom Pérignon safra 2000, Dom Pérignon Rosé safra 1998 e o recém-lançado Dom Pérignon ?nothèque safra 1995, um rótulo muito especial e com uma partida de apenas 60 garrafas.


    São apenas 18 lugares na Sala Privée do restaurante, onde, além dos três rótulos mais emblemáticos de Dom Pérignon, poderão saborear um menu exclusivo, elaborado pelo próprio chef Alex Atala, especialmente para acompanhar esta degustação única. Todas as louças foram trazidas da França especialmente para a celebração.


    Menu

    1ª Entrada: Ouriço, algas e bacuri

    Harmonização: Dom Pérignon safra 2000


    2ª Entrada: Siri mole com manteiga de garrafa e priprioca

    Harmonização: Dom Pérignon safra 2000


    1º prato: Fettuccine de palmito, manteiga, sálvia, queijo parmesão e pó de pipoca

    Harmonização: Dom Pérignon ?nothèque safra 1995


    2º prato: Filé mignon de javali com toffee e baunilha

    Harmonização: Dom Pérignon ?nothèque safra 1995


    3º prato: Aligot

    Harmonização: Dom Pérignon Rosé safra 1998


    Sobremesa: Priprioca ? ravióli de limão e banana-ouro

    Harmonização: Dom Pérignon Rosé safra 1998


    D.O.M. e Dom Pérignon

    D.O.M. e Dom Pérignon constroem uma história juntos desde 2008, o maior chef do Brasil e o maior champanhe de todos os tempos. Alex Atala nomeou o seu D.O.M. inspirado na máxima beneditina Dominus, Optimus, Maximus e, mais do que uma simples coincidência, o criador do champanhe, Dom Pierre Pérignon, foi um inovador monge beneditino.

    Reconhecido como um dos melhores restaurantes do mundo, o D.O.M. está pela primeira vez entre os 20 primeiros da lista e é o único nome da América do Sul. Para celebrar esta parceria neste importante momento para Alex Atala, Dom Pérignon trouxe diretamente de sua maison na França o enólogo Vincent Chaperon para comandar o jantar harmonizado ao lado do chef, que também estará presente.

    Dom Pérignon safra 2000

    A novíssima safra e símbolo da maison. Após uma espera de sete anos, Dom Pérignon decidiu revelar sua interpretação do milênio. Para marcar este ponto de transição, a safra 2000 é um clássico exemplo do espírito de Dom Pérignon, mas com sua misteriosa qualidade e presença intensa. É uma homenagem a Pierre Pérignon o monge que foi nomeado chef-de-cave da Abadia de Hautvillers em 1668 e cuja ambição foi ?fazer o melhor vinho do mundo? ? e à criação original de Champanhe.

    Dom Pérignon Rosé safra 1998

    Considerado por Richard Geoffroy, chef-de-cave de Dom Pérignon, a joia da maison, o champanhe Rosé apresenta atualmente sua safra 1998. A criação de Dom Pérignon Rosé reside na escolha perfeita das uvas brancas que complementam um equilíbrio da forte personalidade das uvas tintas, seguido do envelhecimento de oito a dez anos nas adegas. A untuosidade da espuma, a fineza da borbulha e sua riqueza aromática e gustativa fazem do Dom Pérignon Rosé um champanhe especial.

    Dom Pérignon nothèque safra 1995

    Para alcançar o máximo do estilo Dom Pérignon, as safras são lançadas somente depois de sete anos de envelhecimento nas adegas. Porém, mesmo após este período, algumas garrafas de cada safra são mantidas por mais algum tempo para continuarem evoluindo e ampliarem suas características naturais. Apenas uma pessoa o enólogo chefe de Dom Pérignon pode decidir quando relançar uma safra. Se a safra for relançada pela segunda vez, ela merece ganhar o nome e rótulo de nothèque (biblioteca do vinho). O nome nothèque indica que esta safra de Dom Pérignon atingiu seu segundo ou terceiro auge em termos de maturidade, com sua intensidade e complexidade exacerbadas.

    Vincent Chaperon

    O enólogo vem trabalhando para a maison Dom Pérignon há cinco anos, aplicando na elaboração deste excepcional vinho sua expertise técnica de altíssimo padrão e um forte e incansável comprometimento, qualidades que compartilha com Richard Geoffroy, chef-de-cave de Dom Pérignon. Além da estreita ligação e cumplicidade entre eles, o mentor e seu protégé compartilham a mesma paixão por este tesouro. Eles trabalham lado a lado, degustando, elaborando e refinando o vinho, monitorando seu envelhecimento. A bebida é enriquecida com esta proximidade e suas virtudes complementares.

    Jantar Dom Pérignon em homenagem à Alex Atala

    Local: Sala Privée do D.O.M. Restaurante: Rua Barão de Capanema, 459, Cerqueira César, São Paulo/ SP.

    Data: 25 de maio de 2010

    Horário: 21h

    Informações e reservas com Karina Pellegrine

    Tel.: (11) 9149-3919 / email: domperignon@lvmh.com.br

    Preço: R$ 1.800, o casal (serviço não incluso)

    * Apenas 18 lugares

    * Reservas com pagamento antecipado

    * Estacionamento com manobrista no local

     

    TAGS
     
     
     
     

    Bares em São Paulo

     
     

    Notícias BaresSP

     

    BaresSP publicidade 980x90 bares


    topo