Cenários e perspectivas do mercado food service 2016 serão temas de debates de encontro em Novembro Eventos BaresSP 570x300 imagem
    bsp-arroba-CursoGestao-300x250px.gif

    Cenários e perspectivas do mercado food service 2016 serão temas de debates de encontro em Novembro

    Encontro de negócios discute possíveis cenários políticos para 2016

    Por Lais Araujo | 23 de Outubro 2015 - Publicado em 23 Outubro 2015


    As perspectivas para 2016 e as oportunidades no mercado food service serão temas de evento no mês de novembro, no Hotel Blue Tree Morumbi, em São Paulo, com o Grupo DIEFS - Distribuidores especializados em Food Service e a Indústria de alimentos.

    Olhar no negócio

    A expectativa é que o segmento de refeições fora do lar ou mercado food service atinja um crescimento entre 8 e 9% em 2015 (nominal) – alguns pontos percentuais a menos do que o obtido no ano passado - mas nem por isso menos significativo, uma vez que o setor, assim como outros mercados, vem buscando saída para driblar a crise econômica e política que assola o país. Ao alcançar esse incremento, o setor deverá crescer mais que o PIB brasileiro como tem feito nos últimos anos, demonstrando mais uma vez seu potencial. Esse incremento tem sido possível, uma vez que 36% das despesas realizadas hoje com alimentação dos brasileiros se destinam ao ato de comer fora de casa, e as projeções indicam que até 2018, esse percentual possa chegar a 40% dos gastos com alimentos no País.

    Em meio a um futuro tão promissor, para debater resultados, dificuldades, conquistas, assim como fazer projeções ou estabelecer metas para o ano seguinte, todo final de ano a ECD, consultoria especializada neste mercado, e o Grupo DIEFSDistribuidores Especializados em Food Service – realizam um encontro na capital paulista, que reúne os agentes de distribuição membros do DIEFS - companhias que faturaram juntas em 2014 um bilhão e 56 milhões de reais, sendo que para este ano, a previsão é de que alcancem um bilhão e 81 milhões de reais - assim como as principais indústrias de alimentos que têm negócios direcionados ao canal. “Queremos contribuir com a projeção de cenário tanto nos aspectos macroeconômicos, através do convite a especialistas, como no mercado Food Service, onde dispomos de informação para as projeções”, afirma Enzo Donna, consultor e diretor da ECD Consultoria em Food Service e coordenador do Grupo DIEFS.

    Cenário político em foco

    Em busca de dar novos direcionamentos e ampliar horizontes para os agentes de distribuição e fabricantes de todo o País, o encontro, que acontecerá no dia 12 de Novembro, na capital, será composto por palestras que terão como tema as perspectivas no mercado de alimentação fora do lar, assim como as projeções para o cenário político brasileiro em 2016. Apresentar os cenários para o segmento de Food Service no ano que vem será o objetivo da palestra ministrada por Enzo Donna, especialista no assunto e consultor da ECD. Para discutir os possíveis cenários políticos e seu impacto na economia do País em 2016, os participantes contarão com a presença do comentarista político, jornalista, escritor e membro da Academia Brasileira de Letras, Merval Pereira. “Este ano as expectativas para 2016 nos obrigam a refletir que o tema econômico passa por uma análise previa da parte política. Há muitos anos que não enfrentávamos um cenário com a gravidade da atual. Sem dúvida será um grande aporte que contribuirá com um preparo mais adequado para as empresas enfrentarem os desafios de 2016”, ressalta Donna.

    Indústria parceira

    Tão importante quanto o papel do distribuidor, que necessita cada vez mais de especialização para atender os operadores deste mercado, composto por bares, restaurantes, lanchonetes, pizzarias, entre outros estabelecimentos, tem sido a participação da indústria de alimentos no crescimento e desenvolvimento deste mercado. Segundo dados da ABIA - Associação Brasileira da Indústria da Alimentação - entre 2013 a 2014, as receitas provenientes das refeições realizadas fora do lar geraram uma receita de mais de 130 bilhões de reais para as fabricantes que percebem cada vez mais oportunidades em oferecer produtos e soluções para esse nicho de negócio. “O DIEFS sempre está em busca do aprimoramento também de seus parceiros comerciais, principalmente da indústria. Sabemos que o ano de 2016 será crítico no sentido econômico, portanto o foco será aumentar a produtividade e melhorar alguns indicadores de desempenho importantes, tanto para o distribuidor, quanto para as fabricantes”, alerta Donna.

     

    TAGS
     
     
     
     

    Bares em São Paulo

     
     

    Notícias BaresSP

     

    BaresSP publicidade 980x90 bares


    topo