Bares e restaurantes encerraram as atividades devido à pandemia do coronavírus Eventos BaresSP 570x300 imagem
    curso-barista-arroba.gif

    Bares e restaurantes encerraram as atividades devido à pandemia do coronavírus

    Veja os bares e restaurantes que faliram durante a quarentena em SP

    Por Michelly Lelis | 13 de Julho 2020 - Publicado em 09 Julho 2020


    A pandemia do novo coronavírus causou grandes impactos que se refletem até o momento. Um dos setores mais afetados é o de bares e restaurantes. Com a retomada gradual das atividades econômicas em algumas cidades, aos poucos, os estabelecimentos voltam abrir as portas com horários reduzidos, além de operar com serviços de retirada e delivery. No entanto, durante o período de três meses, a restrição de funcionamento levou ao fechamento definitivo de diversos bares e restaurantes. De acordo com a Associação Nacional de Bares e Restaurantes (Abrasel), cerca de 20% do setor, ou seja, cerca de 50 mil estabelecimentos, faliu no estado de São Paulo. Ainda segundo o órgão, o número pode ser maior caso não houver nenhuma medida de amparo aos negócios desse segmento. 
     
    Estabelecimentos tradicionais, como La Frontera, Buffet França, Restaurante Itamarati e o Pasv, localizados na região central de São Paulo, enceraram as suas atividades. No bairro de Pinheiros, o bar Cateto anunciou em suas redes sociais que “diante de uma pandemia mundial que ninguém estaria pronto para prever ou se preparar, nós, como tantos outros pequenos negócios, não resistimos”. Já o bar Capivara, na Barra Funda, tomou uma atitude semelhante. “Informamos que o Capivara Bar, como se conhece, não existe mais”, publicou o negócio no Instagram. 
     
    Também através das redes sociais, o Titus Bar lamentou o encerramento das atividades com agradecimentos aos seus clientes. “Nos despedimos lembrando que, ao longo desses anos, escrevemos uma história junto com cada um de vocês”. O tradicional restaurante francês, Marcel, publicou um comunicado sobre o fechamento do negócio após 65 anos. “Obrigado a todos que fizeram nossa história ser tão linda e tão significativa por tanto tempo”. 
     
    O restaurante Albertina fechou o salão em Pinheiros antes mesmo do decreto da quarentena e manteve o delivery. No entanto, no dia 9 de julho, o Instagram da casa anunciou o encerramento da operação para o dia 15. "Mais de 100 dias parados, um futuro muito incerto sobre reabertura e falta de apoio real por parte do governo foram alguns dos fatores críticos para essa decisão", diz a nota. O Clandestino também divulgou o fim das atividades no início de julho, mas busca uma casa nova. Bel Coelho, chef do local, continua fazendo delivery e aceita encomendas (contato@clandestinorestaurante.com.br). 
     
    O Pettirosso Ristorante, reconhecido por Veja São Paulo Comer & Beber três vezes como a melhor trattoria da cidade entre 2013 e 2015, também oficializou o seu fechamento. A crise pôs um fim na rede Galeto’s, iniciada em 1971, e que chegou a ter até doze endereços. Hoje, concentra-se em um único ponto nos Jardins, ainda não reaberto, e duas unidades delivery. Além disso, Tomates & Bananas; Tony Roma’s; Malba Cocina y Bar; Satú; Mil e o Côl, no Itaim Bibi ampliaram o número de locais extintos. 
     
    O estabelecimento Ovo e Uva também teve seu fechamento abreviado pelo isolamento social. O proprietário do negócio tentou resistir e a decisão do final foi tomada em 14 de junho, já que não conseguiu negociar com o proprietário do imóvel um ajuste no valor do aluguel. Mas o Ovo e Uva não desaparece por completo. Se o os planos dos donos vingarem, continuam como um e-commerce e com as confrarias e cursos, anteriores à abertura do bar, em 2014. O bar Exquisito!, Mandíbula, Buraco, o restaurante libanês Abu-zuz e a hamburgueria Butcher’s Market não resistiram à quarentena. 
     
    A Cia Tradicional de Comércio também sentiu os efeitos e desistiu da unidade da Bráz Elettrica no Shopping Higienópolis. Apesar de ainda manter as unidades de Pompeia, Santa Cecília e Moema, a pizzaria Divina Increnca encerrou a filial de Perdizes. O Tazza finalizou as suas atividades com apenas um ano e três meses de funcionamento e Bend Café, confeitaria que fechou a loja física nos Jardins em maio, segue entregando doces em outro endereço.
     
    O encerrameno das operações das duas unidades da cafeteria Octavio Café foi anuncioado no dia 08 de julho. Segundo a nota publicada no Instagram da marca, a decisão foi causada pela crise gerada pela pandemia e as incertezas para uma eventual reabertura. A rede segue com a venda de produtos, tais como grãos, pó e cápsulas, em rede de varejo e anunciou que dará início a uma operação de delivery, entregando os produtos da cafeteria. 
     
    Um outro bar que anunciou o encerramento de suas atividades foi o Bar do Urso, foi anunciado o fim das operações da unidade Itaim Bibi - II, que estava localizada na rua João Cachoeira. O grupo ainda mantém suas outras unidades como a do Brooklin e de Pinheiros.
     
    Localizado no centro da Vila Madalena, o Akbar foi um dos espaços que encerrou as suas atividades. A casa era conhecida por oferecer uma programação vibrante e que remetia aos anos 80 e 90. Em nota no instagram, os donos comentam o fim da casa “O Akbar não foi apenas uma casa noturna e sim, um hospital, onde as pessoas, no momento da sua alegria, eram curadas. O ciclo deste local chegou ao fim, mas a nossa história continuará no coração de todos que passaram por aqui.”
     
    Localizado na Alameda Lorena, o Suplicy Cafés anunciou o encerramento das suas operações na região. A  cafeteria funcionava ali há 17 anos. A rede mantém ainda as suas outras unidades abertas. Em post no Instagram, onde anunciou o fim da loja, os proprietários agradecem todos os clientes “Agradecemos a todos os clientes que nestes 17 anos, construíram com a gente uma linda história que segue, sempre com uma boa xícara de café.”
     
     

     

     

     
     
     

    Bares em São Paulo

     
     

    Notícias BaresSP

     

    BaresSP publicidade 980x90 bares


    topo